pesquisa revela que 30% dos casais topariam ver seu par com outro

No dia 25 de abril é celebrado o dia do corno; A rede social de sexo liberal responsável pela pesquisa foi o ‘Sexlog’

pesquisa revela que 30% dos casais topariam ver seu par com outro

Ser corno pode ser um dos maiores medos de muitas pessoas em relacionamentos. Até quem está solteiro teme um dia ganhar um par de chifres. Mas, existe uma parcela significativa da população que, não só anseia por esse dia, como tem tesão em ser traído. O fetiche em ver seu par com outro, conhecido como cuckold no meio fetichista, é desejo de pelo menos 30% dos entrevistados pelo ‘Sexlog’. A rede social de sexo liberal ‘Sexlog’ realizou uma pesquisa em alusão ao Dia do Corno, celebrado hoje, dia 25 de abril. Os resultados mostraram que 80% dos entrevistados topariam realizar o fetiche, sendo que desses, 30% gostaria de ver a parceria com outro, enquanto 60% gostaria de ser o outro. Diferenciados PUBLICIDADE A pesquisa apontou ainda que 35% revelaram preferir que o marido assista, enquanto 25% fazem questão da participação do marido no ato. E entre os mais ousados, 67% disseram que gostam de registrar a própria esposa transando com outro. É importante lembrar que dentro do fetiche, tudo é acordado e consentido entre os participantes. O fetiche em ser corno Cuckold é o termo designado para homens que tem o desejo de ser corno. Em 2020, o termo foi buscado 110 mil vezes, de acordo com uma pesquisa realizada pelo site Vivalocal, que mapeou os fetiches mais procurados pelos brasileiros na ferramenta de buscas. CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE O fetiche ocupa o segundo lugar no ranking das buscas. De acordo com Camila Voluptas, escritora e fundadora da maior sociedade secreta de swing do Brasil, que também é apresentadora do Sexlog TV, apesar de pouco falado, o Cuckold é mais comum do que se imagina. “Ele tem prazer em ver sua esposa interagindo sexualmente com outros homens, estando ou não na presença dele. Sua esposa é como a melhor estrela pornô. A satisfação dele é vê-la sentindo o máximo de prazer”, esclarece. Nessa dinâmica, a mulher que tem outros parceiros na relação é chamada Hotwife. Para todos O fetiche não é apenas pelo lado do homem. Questionados sobre quem teve interesse primeiro, 50% apontaram que partiu da esposa. Para as mulheres, o que mais agrada no cuckold é o fato de ser desejada. “Ser desejada pelos dois homens e me entregar apenas para quem eu quiser, enquanto o outro fica apenas olhando, não tem preço”, afirma uma das entrevistadas. CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE Para Mayumi Sato, CMO do Sexlog, a pesquisa reforça que os fetiches vão muito além da visão que muitas pessoas têm sobre o que é traição. “Como todos sabem, a forma de se relacionar mudou muito e hoje é possível discutirmos sobre diversos fetiches, conforme o acordo de cada casal. Existe algum problema se o homem gostar de ser corno, se for com consentimento e responsabilidade? São as reflexões que gostaríamos de propor com a pesquisa.” Os cornos no Brasil O Distrito Federal (DF) foi o estado em que mais pessoas responderam que tinham conhecimento sobre o fetiche cuckold, com 80% de respostas afirmativas. Mas, o Pará foi campeão no fetiche do corno, com 53%, registrando o maior índice de participação.