Morador de área onde caseiro é caçado: “Tentaram arrombar minha casa”

"Solução foi gritar": trabalhador rural teve que clamar pela ajuda de vizinhos para espantar pessoa que tentava arrombar a janela da cozinha

Morador de área onde caseiro é caçado: “Tentaram arrombar minha casa”
  • Abadiânia (GO) – Um desconhecido tentou arrombar uma casa de uma granja de porcos na zona rural no Entorno do Distrito Federal, onde ocorrem as buscas pelo bandido Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, suspeito de uma sequência de três homicídios bárbaros. A tentativa de ataque aconteceu na noite de terça-feira (30/11) a cerca de 15 quilômetros da zona urbana de Abadiânia. Os moradores da casa, uma família de cinco pessoas, estão apavorados. O trabalhador rural que mora na residência contou ao Metrópoles a situação, na condição de anonimato. Ele é um jovem de 23 anos do interior do Pará, que se mudou há uma semana para Goiás com a esposa e três filhos. No dia da tentativa de arrombamento, a família tinha acabado de se mudar para a pequena casa, que antes estava abandonada. “Escutei a janela querendo abrir e pensei que era o vento, mas a chuva passou e continuou mexendo. Aí eu levantei da cama e vi que o camarada estava tentando forçar a trava da janela. A minha solução foi gritar”, descreveu o trabalhador. O jovem contou que o suspeito continuou a forçar a abertura da janela, cada vez com mais força, mesmo depois dos primeiros gritos por ajuda de vizinhos. A casa é rodeada de outras três residências semelhantes, de outros trabalhadores da granja. “Tentaram invadir a minha casa”, conta, dizendo que sentiu muito medo. O morador da casa chegou a correr para a porta de entrada e colocar o peso do corpo sobre ela, evitando uma possível entrada do invasor, que acompanhava os passos do jovem do lado de fora da residência. Enquanto isso, a esposa e os três filhos do trabalhador estavam escondidos no quarto. Ajuda A família só teve paz depois que os vizinhos foram até a casa e o invasor fugiu pelo mato, na direção de uma plantação de laranjas que tem ao lado da granja. Uma das vizinhas, a Luciene Gomes da Silva, de 48 anos, contou que os vizinhos foram até a casa com facões e objetos que poderiam ser usados como armas, assim que ouviram os pedidos de socorro. Ela desconfia que o invasor estava usando a casa, antes abandonada, para se esconder, já que havia fezes no vaso sanitário da residência e a grade da janela estava quebrada, sendo possível entrar por ela após abrir a tranca. O jovem trabalhador paraense que foi surpreendido pelo invasor diz estar bastante assustado e com medo. Ele decidiu ficar mais uns dias junto de outras famílias em outra casa até que o bandido Wanderson seja preso. “Não temos nada para se defender. Nos não conhecemos ninguém. Não podemos vacilar”, disse o jovem. Policiais militares e civis estiveram no local da invasão durante a madrugada de terça e a manhã de quarta. Depoimentos foram colhidos de moradores e indícios da passagem do suspeito foram coletadas na área. Na madrugada desta quarta-feira (1/12), na mesma região em que houve a tentativa de arrombamento, um chacareiro disse ter trocado tiros com um desconhecido na escuridão. Sequência de mortes Os crimes em série de Wanderson Protácio teriam sido praticados no fim da tarde de domingo (28/11). De acordo com a Polícia Civil, o jovem teria matado a facadas a própria esposa, Raniere Aranha Figueiró, de 21 anos, e a filha dela, Geysa Aranha da Silva Rocha, de 2 anos. Na sequência, o caseiro invadiu a casa de um vizinho, o produtor rural Roberto Clemente de Matos, de 73 anos, roubou o revólver dele e o matou a tiros. Wanderson teria cometido o crime para roubar uma camionete. Nesse mesmo episódio, teria tentado estuprar a esposa da vítima, de 45 anos, não conseguiu e a baleou. A mulher sobreviveu. A caminhonete roubada foi abandonada em uma rodovia da região. Wanderson vendeu o celular que pertencia à sua esposa a um receptador de Alexânia, que acabou sendo preso. Quebrou a faca Essa onda de assassinatos não é a única passagem de Wanderson pelo mundo do crime. Em 2019, ele esfaqueou várias vezes uma jovem de 18 anos no dia do aniversário dela. O caso foi em Goianápolis (GO). O agressor só parou com os ataques porque a faca quebrou. Ele chegou a ser preso pela tentativa de feminicídio, mas foi solto. Chama a atenção o caso de Wanderson e as semelhanças com a história do criminoso Lázaro Barbosa, de 32 anos, que cometeu crimes em série no Entorno do DF em junho deste ano. Após cometer homicídios em sequência, o também caseiro passou 20 dias fugindo das forças policiais na região, até ser morto em um confronto no dia 28 de junho.