Educadora de Ceilândia se destaca em premiação nacional

Prêmio Professor Transformador reconhece projeto que resgata autoestima de estudantes de uma das regiões mais violentas do Distrito Federal

Educadora de Ceilândia se destaca em premiação nacional

Jáder Rezende 

Professora Celiana Mota Rodrigues, do Centro de Ensino Fundamental 16, de Ceilândia, vencedora do prêmio Professor Transformador - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press) Professora Celiana Mota Rodrigues, do Centro de Ensino Fundamental 16, de Ceilândia, vencedora do prêmio Professor Transformador - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press) Com projeto voltado ao protagonismo juvenil, a professora brasiliense Celiana Mota, do Centro de Ensino Fundamental de Ceilândia (CEF 16), foi a grande vencedora da categoria Ensino Fundamental 2 da segunda edição do Prêmio Professor Transformador, promovido em conjunto pelo Instituto Significare e Bett Educar. A premiação reconhece e valoriza projetos de educação transformadora. A professora do DF foi premiada pelo projeto Desiderata, criado com o intuito de promover o protagonismo estudantil e que busca despertar o senso crítico, a capacidade de argumentação e a participação de toda a comunidade escolar. A metodologia incluiu a promoção de rodas de conversa com especialistas, uso de vídeos temáticos, incentivo à leitura e produção de textos. O nome do projeto remete ao poema do filósofo e poeta norte-americano Max Ehrmann (1872-1945), que carrega mensagens de fé, amor e esperança. Palavra de origem latina, desiderata significa aquilo que se deseja e, para muitos, interpretado como caminho para o bem comum. Mais de 820 projetos foram inscritos no prêmio, em quatro categorias. Do total, 350 foram escolhidos como transformadores e 12 foram finalistas. Os resultados foram divulgados na tarde de quarta-feira (11), durante a Bett Brasil 2022, maior evento de educação e tecnologia da América Latina, realizado em São Paulo (SP). PUBLICIDADE Apoio Segundo Celiana, o trabalho englobou competências da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), como comunicação, conhecimento, capacidade de argumentação, trabalho e projeto de vida, e foi iniciado há quatro anos, quando começou a lecionar naquela unidade. "Foi fundamental o apoio de toda a escola, em particular das professoras Gina Valério e Ruth Rodrigues, que me incentivaram a fazer a inscrição no concurso", disse. Além do troféu, ela recebeu R$ 7 mil. “É grandioso poder divulgar o que temos de bom na nossa escola. Buscamos desenvolver um projeto que fosse além dos formatos curriculares, com discussões sobre direitos humanos, igualdade de gêneros, diferenças e cultura de pais na escola. Enfim, oferecer mais do que conteúdo”, disse a professora, destacando a importância das escolas priorizarem o lado emocional dos alunos. "Procuramos, eu e a escola, criar um contraponto com a agressividade que sempre marcou a região. Ceilândia é uma cidade violenta. Quando a prioridade é os estudantes, a escola vai longe. Só o conteúdo não vai trazer a motivação. Estamos lidando com vidas e é imprescindível mostrar que se pode sonhar", afirma Celiana. O fato é que não posso lecionar hoje da mesma forma que me ensinaram na escola. Não sou mais detentora do conhecimento.” A educadora afirma que a premiação é mais uma motivação para prosseguir e, sobretudo, aprimorar o projeto. A ideia, adiante, é promover, entre os alunos e também com a comunidade, saraus com músicas e poesias, mostras de arte, teatro e até mesmo um festival de vídeos, como forma de despertar o talento e a autoestima de todos. “Cansamos de ver nossa escola destacada somente em páginas policiais. É muito triste ver estudantes desmotivados, se mutilando, pensando em tirar a vida, desistindo de tudo aos 15 anos. Nosso meta é fazer com que nosso trabalho seja uma referência positiva para todas as escolas”, afirma Celiana. A vice-diretora do CED 16, Paula Fernandes Freitas, reitera que a Celiana contou com todo o apoio da equipe gestora da escola. “Recebemos a notícia da premiação com muita emoção. Trata-se de um projeto exemplar, que transforma. Promove o resgate da autoestima e a valorização da vida. Com certeza, deve ser seguido por outras unidades de ensino”, disse. Transformação Segundo o presidente do Instituto Significare, Wellington Cruz, os projetos vencedores serão incorporados ao banco de práticas transformadoras da instituição, sistema que consiste na manutenção de um acervo de atividades pedagógicas e que servem de inspiração para professores do todo o país. “Percebemos a necessidade de compartilhar essas práticas para ampliar o alcance, para que elas se multipliquem, não se encerrem apenas no prêmio", disse. "De forma significativa, buscamos professores inovadores, que vão além da escola, que transformam não só o indivíduo, mas o contexto”, completa Cruz. Ainda segundo ele, foram ainda priorizados na premiação projetos ligados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que fazem parte da chamada Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), cujo foco é superar os principais desafios de desenvolvimento enfrentados no mundo, promovendo o crescimento global sustentável. Cruz ressalta que o projeto da professora Celiana traz uma "abordagem ímpar de leitura". “O Desiderata humaniza a educação de maneira muito profunda. Com aspectos culturais, liga o currículo à cultura humana, vai além dos componentes curriculares que a escola deve trazer, como atitudes, comportamento. Traz junto dele a capacidade de desenvolvimento humano. É um agente transformador, que comprova que a escola não pode se recolher no próprio medo, mas se abrir para a transformação. Além disso, revela que o objeto mais importante é a vida real, e que a escola é o reflexo do futuro”, afirma. A diretora de conteúdo da Bett Brasil, Adriana Martinelli, pontua que a entidade tem como uma de suas prerrogativas reunir todos os atores educacionais do país e do mundo, o que torna fundamental apoiar o Prêmio Professor Transformador. “Este ano foi ainda mais especial, porque retornamos ao presencial. Esse reencontro marca um novo recomeço, e reconhece os esforços de todos os professores durante a pandemia. Alguns, muito bem representados e merecidamente premiados", disse.