Carga de coronavírus no esgoto do DF atinge maior patamar desde abril

Levantamento da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) contou 963,3 bilhões de cópias do vírus por dia para cada 10 mil hab

Carga de coronavírus no esgoto do DF atinge maior patamar desde abril

A carga do novo coronavírus no esgoto do Distrito Federal atingiu, na última semana, o maior patamar desde abril deste ano. De acordo com levantamento da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), entre 5 e 11 de setembro foram 963,3 bilhões de cópias do vírus por dia para cada 10 mil habitantes. Este número significa um aumento de 75% se comparada a semana anterior, de 29 de agosto a 4 de setembro, quando foram verificadas 551,9 bilhões de cópias do vírus por dia para cada 10 mil habitantes. Ao todo, são oito estações de tratamento de esgotos (ETEs), que atendem a cerca de 80% da população do Distrito Federal. Para encontrar carga viral maior, a ANA precisou voltar até abril, quando a carga viral chegou a 1,41 trilhão de cópias do novo coronavírus. Ainda de acordo com a Nota de Alerta da Rede Monitoramento COVID Esgotos, desde o meio de agosto até a última semana houve uma tendência de aumento da carga viral no esgoto em todas as ETEs monitoradas, exceto na de São Sebastião. A maior elevação foi verificada na ETE Brasília Norte, localizada na Asa Norte. PUBLICIDADE Mais sobre o assunto Janela Indiscreta Monitoramento de esgoto apresenta tendência de queda de Covid-19 no DF Brasil Covid: monitoramento de esgotos em Araraquara apresenta primeiros resultados Estação de Tratamento de Esgotos de Águas Lindas Saúde Análise de esgoto mostra queda na quantidade de coronavírus no DF Estação de tratamento de esgoto da CAESB (ETE Norte) Distrito Federal Carga viral do novo coronavírus será monitorada no esgoto do DF Numa comparação entre as semanas de início de agosto e setembro, houve um aumento de quatro vezes na carga viral. Conforme a Nota de Alerta nº 01/2021, essa elevação da carga viral é convergente com o aumento do número de casos confirmados de COVID-19 no Distrito Federal nesse período, o que pode ser percebido no gráfico a seguir. PUBLICIDADE O objetivo do levantamento é auxiliar o governo na tomada de decisões sobre a pandemia, identificando tendências e alterações nas regiões monitoradas. O mapeamento também pode apontar áreas com maior incidência da doença e ser usado como ferramenta para antecipar surtos. As análises buscam ampliar as informações para o enfrentamento da pandemia da Covid-19. Os resultados gerados podem auxiliar na tomada de decisões por parte das autoridades de saúde. O mapeamento do esgoto também serve para identificar áreas com maior incidência da doença e usar os dados obtidos como uma ferramenta de alerta precoce para novos surtos.