Consultora legislativa morre, aos 46 anos, vítima da covid-19

Fabiana Queiroz lutou por 50 dias contra as complicações da doença. Ela teve uma parada cardíaca e não resistiu

Consultora legislativa morre, aos 46 anos, vítima da covid-19

Jéssica Moura (crédito: Reprodução) Na manhã deste domingo (11/7), encerrou-se a luta da consultora legislativa Fabiana Queiroz, 46 anos, contra as complicações da covid-19. Ela estava internada há 50 dias no hospital DF Star para se tratar da infecção. Como os sintomas se agravaram, ela precisou passar pela terapia de Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO), a mesma técnica a que foi submetido o ator Paulo Gustavo, também vítima do coronavírus. Fabiana teve uma parada cardíaca e não resistiu. Goiana, ela se mudou para Brasília aos três anos de idade e adotou o Distrito Federal como terra natal. "Era brasiliense por vocação", conta o marido dela, Gabriel Garcia, 38, com quem conviveu por nove anos. A paisagem do Cerrado e a profusão da vegetação da cidade-parque encantavam Fabiana. "Tanto que ela vai ser cremada. Antes de morrer, ela me pediu para que as cinzas fossem colocadas em um ipê". Com a chegada da estação mais seca, as árvores desabrocham e viram cartão-postal da cidade. "Vão florescer como a Fabi floresceu para a vida", compara Gabriel. Carreira Fabiana se formou no curso de Letras, com habilitação em Espanhol, pelo Centro Universitário de Brasília (UniCeub) e fez carreira como consultora legislativa no Senado Federal. "Como a Fabi era intelectual, ela lia em média de 4 a 5 livros por mês", relata Gabriel. Afeita à palavra, ela redigiu discursos de inúmeros parlamentares. Fabiana era conselheira da Associação dos Consultores e Advogados do Senado Federal (Alesfe). Em nota, a diretoria e conselho fiscal da associação manifestaram pesar pela perda da consultora. "Muito querida, (Fabiana) deixará grandes saudades. Compartilhamos com todos, e em especial com a família, esse momento de dor", escreveram os colegas. O jornalista Paulo Fona, ex-secretário de Imprensa da Presidência da República, também se manifestou. “Fabiana é um espírito que veio nos dar alegrias e amor. Sagaz, inteligente, refinada, Fabi tem um coração do tamanho do mundo”, homenageou. "Você é o grande amor da minha vida", essas foram as últimas palavras que eles trocaram antes de Fabiana ser intubada, na segunda-feira passada. "Eu amava muito minha mulher", finalizou Gabriel. O velório de Fabiana será nesta segunda-feira (12/7), no cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul, das 8h às 10h. Tags